Pages

Tuesday, March 15, 2016

Quando as supermães precisam de superajuda


Hoje em jeito de desabafo, ouvi com todo o respeito, a confidência de uma Mulher.
Ao longo da conversa fomos abordando diferentes questões e rotinas, num contexto formal e relativamente familiar, até que assim de repente, como quem precisa muito de dizer e já não quer perder mais tempo a encontrar o momento certo, me confessa:
- Sabe eu agora também vou fazer um tratamento, porque estou doente. Estou com o início de uma depressão. Passei estes últimos dois anos a aguentar tudo e a lutar por todos e contra tudo e agora é a minha vez de ir abaixo. Mas mostro-me sempre forte!


Já não era a primeira vez que ouvia um discurso semelhante. Quem trabalha com pais, maioritariamente mães, ouve com alguma frequência relatos semelhantes onde todas as suas forças são postas na luta contra todas as adversidades que surgem com o marido, filhos, mãe/pai e outros familiares/amigos próximos, não se deixando sequer sofrer, falhar ou deixar de dar resposta/ajudar e, quando tudo passa, corpo e mente avisam que está na vez delas de serem ajudadas.

Não muito recentemente foi celebrado o dia da mulher, mas parece que se mantém a força da genética e cultura, ditando a norma no que respeita à definição inflexível de papéis e distribuição de funções no seio de um casal - família.

Saturday, April 07, 2012

PHDA / DDAH EXPLICADO ÀS CRIANÇAS E JOVENS

Putting on the Brakes: Understanding and Taking Control of Your ADD or ADHD, Third Edition 

http://www.apa.org/pubs/magination/flash/441B095.swf
Completely updated and expanded, Putting on the Brakes, 3rd Edition continues to be the go-to resource for kids with AD/HD.
This essential guide — celebrating its 20th year in print — is loaded with practical ways to improve organization, focus, attention, time management, and scheduling, as well as studying and homework skills. Importantly, kids will also find strategies for making friends, controlling emotions, and being healthy.
Putting on the Brakes gives kids with AD/HD the tools they need for success in and out of school and a plan to manage all types of attention disorders.
By Patricia O. Quinn, MD and Judith M. Stern, MA
Pages:112, Black & white; Size: 7" x 9"; Age Range: 8-13 e Publication Date: April 2012


Source: American Psychological Association 


Tuesday, April 03, 2012

QUANDO UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO MORRE


Kate, the Ghost Dog

Kate, the Ghost Dog: Coping With the Death of Pet

How would you feel if you just lost a big part of your life, "someone" very special to you?Meet Aleta. She has two best friends, Cassie and Nina, and she wants to be a vet. Aleta knows that animals don't live forever, but when her dog Kate dies, she can't believe it. It just feels so unfair! And she doesn't want to talk about it. She wants to be alone, and she's really sad and a little angry, too.
With the help of her family and friends, Aleta learns to deal with her feelings and comes to be able to remember Kate with happiness.
By Wayne L. Wilson
Illustrated by Soud
Pages: 48, Color; Size: 6" x 9"; Age Range: 8-13; Item #: 441B042 e Publication Date: November 2009
Source: American Psychological Association 


Sunday, April 01, 2012

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL

Como o próprio sitio (http://www.takepart.com/foodinc) indica, a Food, Inc., tem por objectivo expor o sistema de alimentação industrializado dos Estados Unidos da América.
Além de mostrar como a alimentação é produzida, dos riscos à retirada de autonomia dos agricultores/produtores, mostra-nos também que o consumidor tem o poder de influenciar o mercado (preço, diversidade e quantidade, etc.), usando do seu direito de escolha sobre os produtos mais saudáveis e produzidos de forma sustentável (eg. mudança na cadeira Walmart).


Saturday, January 21, 2012

EDUCAÇÃO E VALORES DE OUTRORA

«Tu tens-te tornado, ao mesmo tempo, demasiado vaidosa e pessoa importante, queridinha, e já é tempo de procurares corrigir esses defeitos. Tens qualidades e virtudes, mas não é preciso andar a chamar a atenção para elas, porque a vaidade estraga os  maiores talentos. Nunca há grande perigo de que o verdadeiro talento ou virtude passem despercebidos durante muito tempo, mas, mesmo no caso de tal acontecer, a consciência de ter essas qualidades e de as empregar devidamente deverá satisfazer a pessoa que as possui, e o grande encanto da sua força está na modéstia.
(...) é um rapaz muito distinto, não é verdade?
- É sim; teve uma educação excelente e dispõe de muito talento. há-de fazer-se um perfeito homem, se o mimo o não estragar (...)
- E não é vaidoso, pois não? (...)
- Nem um bocadinho! É isso que o torna assim tão atraente e faz com que nós gostemos tanto dele.
(...)É bonito ter-se educação, ser-se elegante, mas não o mostrar ou pavonear-se (...)
- Essas reconhecem-se e sentem-se sempre nas maneiras e na conversa da pessoa, se forem empregadas com a necessária modéstia; para isso não é preciso fazer ostentação delas. (...).
In , Luísa Alcott, Mulherzinhas

Sunday, September 12, 2010

PELO MUNDO FORA...

Há algum tempo que queria colocar algo sobre o Gonçalo Cadilhe, como ele próprio se intitula na sua página, o "Escritor viajante" (http://www.goncalocadilhe.com/)
Autor de "A Lua pode esperar" e "Tournée", entre outros, livros de viagens, culturas, hábitos, gentes e de histórias de vida.
Vale a pena a leitura, mesmo que para a maioria de nós, tais viagens sejam de difícil concretização, são muito interessantes e ricas.

DESTINO: FAJÃ DA OVELHA

O destino de fim-de-semana era Fajã da Ovelha, mais precisamente para a Colina da Fajã (http://www.colinadafaja.com/htm/site.htm). Esta é uma pequena grande unidade hoteleira de Turismo Rural muito boa em diversos aspectos.
Não se deixe assustar pela íngreme descida até a sua entrada. O carro vai até à porta, mas será prudente descer devagar e tendo o cuidado de ir verificando se se encontram outros carros a subir, pois a via é estreita, apenas cabe um, embora existam desvios.
Após esta primeira aventura, deparamo-nos com uma casa em estilo rústico-contemporâneo, em tons de amarelo pastel e com uma vista fantástica sobre o mar.
A casa é nova, tem excelentes condições (arquictetura, decoração, limpeza e higiene, actividades de lazer, simpatia e bom atendimento, etc), e o site que a divulga é preciso e de fácil utilização. Considerando preços (60-80€) e a oferta de serviços, considero um excelente local para passar um fim-de-semana descansado, no Inverno ou Verão, em contatco directo com a natureza.
Não perca uns minutos, no pequeno e acolhedor jardim, para observar a noite e o seu lindíssimo céu estrelado.

O que fazer?
Nas redondezas poderá visitar as localidades vizinhas, aproveitar para uma ida à praia (Paúl do Mar - http://www.pauldomar.org/index.html%20ou%20 e%20http://www.madeirarural.com/pt/freguesia-paul-mar/%20e Jardim do Mar http://www.madeirarural.com/pt/freguesia-jardim-mar/), para os mais pequenos uma visita à Quinta Pedagógica dos Prazeres (http://galeriadosprazeres.blogspot.com/2008/10/quinta-pedaggica-dos-prazeres_12.html), fazer uma das levadas, entre outros locais de interesse.

Para o jantar nos Prazeres, são várias as ofertas consoante os gostos. Entre as delícias Italianas (Pizzaria) e os restaurantes de comida tradicional, encontram-se os Restaurantes "O Manjerico" (mediante reserva prévia) e o "Tosco". Este último oferece uma excelente refeição tradicional madeirense de espetada.

Por agora, acho que é tudo.

Thursday, June 03, 2010

NO TEU DESERTO...

... sinónimo de "a teu lado".
«Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer.»
                                                                                                                                Miguel S. Tavares, 2009

Sunday, May 16, 2010

VIDA

A vida é curta, trabalhe como se fosse seu primeiro dia, perdoe rapidamente, beije demoradamente, ame verdadeiramente, ria incontrolavelmente e nunca deixe de sorrir, por mais estranho que seja o motivo.
A vida não pode ser a festa que esperávamos mas enquanto estamos aqui, devemos sorrir e dar graças...
                                                                                                                    de alguém que não conheço

PHELAN-MCDERMID SYNDROME (22Q13) / BOLINHOS DA BETA

Aqui fica uma informação breve sobre mais uma doença rara, que tomei conhecimento hoje.
Estava a ver a RTP2 e num programa acabou por ser entrevistada uma senhora, Elisabete Ferreira, mãe corajosa e empreendedora. Consultei e se precisarem experimentem http://www.bolos3d.weblog.pt/ .
«also known as 22q13 Deletion Syndrome -- is caused by the absence / loss of genes at the tip of the 22nd chromosome, with lack of the Shank3 / ProSAP2 gene suspected as the primary cause of the symptoms associated with the syndrome. This gene plays a pivotal role in development of the human nervous system, including the brain, and loss of this genetic component prevents proper nervous system construction during fetal development.



There is a wide range of severity of symptoms observed in people with the deletion, but most exhibit moderate to severe developmental delays, physically and intellectually, but especially in speaking and communicating. Very low muscle tone is a common trait of the syndrome, and many have problems with eating, sleeping and emotional stability.

There are currently just over 450 members in our database worldwide (as of September 2009), this number includes children and adults.  The large majority of these cases are small children due to the recent (1998) development of a reliable test called the Fluorescence In Situ Hybridization Test (aka, FISH) for the deletion.  The actual number of people with the deletion is certainly much larger. Outreach to find and help these families with older children is one of the objectives of the support group.

Most, but not all, children with this syndrome will have a number of characteristic features:
  • Newborns usually have floppy muscle tone (hypotonia)
  • Newborns/Infants have a difficult time drinking from the bottle/breast - fluids tend to leak out of their mouths making for a messy and wet meal
  • Delayed in sitting up, rolling over, crawling and walking
  • Delayed or absent speech
  • Normal growth or may be tall for age
  • Facial features are fairly subtle and may not be recognized by your doctor: long head shape (dolicocephaly), puffiness around the eyes, long eyelashes, droopy eyelids, puffy cheeks and large ears.
  • Physical features: large, fleshy hands, underdeveloped toenails that may peel off effortlessly and the inability to perspire, causing overheating readily.»                                                                                              In, http://22q13.org/j15/

Sunday, April 04, 2010

10 MELHORES SOBREMESAS DE PORTUGAL

O crítico gastronómico da VISÃO percorreu as ementas de Lisboa e do Porto para seleccionar os doces mais bem confeccionados do País. Alguém falou em calorias? VEJA A LISTA E AS FOTOS!

Romeu e Julieta O nome remete para a ligação do queijo com a marmelada. Não se nota na imagem, mas é o que lá está. No Ferrugem reinterpretam propostas populares com doses bem calculadas de rigor técnico e de criatividade, como neste Romeu e Julieta, lançado no Dia dos Namorados. Foram buscar o morango, fruto associado à paixão, para a marmelada, mas por ser pobre em pectina, tiveram de recorrer ao agar-agar para a indispensável gelificação. €6
Restaurante Ferrugem
Dalila e Renato
R. das Pedrinhas 32, Portela, Vila Nova de Famalicão T. 252 911 700

Sonhos de chocolate branco com framboesa É no mínimo excitante esta sobremesa, que pode ser considerada um estudo sobre as texturas da framboesa. O chef pegou na massa de sonhos e, em vez do limão e da canela, aromatizou-a com laranja, cardamomo e uma vagem de baunilha. No recheio, a novidade maior: chocolate branco. Um espanto, esta sobremesa de base típica com uma adaptação de estilo contemporâneo. €7
Restaurante Quarenta e 4 Américo
R. Roberto Ivens, 44, Matosinhos T. 22 936 3706

Aletria Na Casa Aleixo gastam-se, por mês, duas toneladas de polvo, que é servido em filetes. Mas há uma sobremesa tradicional que é igualmente apreciada e que também tem de ser feita todos os dias: a aletria. É uma sobremesa à parte, um doce fantástico. Ao contrário de uma certa tradição nortenha de fazer a aletria com água e açúcar, que lhe dá uma consistência dura, de cortar à faca, na Casa Aleixo confecciona-se com leite e ovos, fica cremosa e come-se à colher. Adivinha-se que essa grande cremosidade advém do uso generoso dos ovos, a lembrar a doçaria conventual. Faz-se diariamente e é sempre igual, porque a sua confecção está confiada à cozinheira Elisa, há mais de 35 anos. €3,50
Restaurante Casa Aleixo Elisa
R. da Estação, 216, Porto,
T. 22 537 0462

Queque de noz com ovos-moles
De uma receita de família, Teresa Ruão fez uma das sobremesas favoritas do Cozinha da Terra: o queque de noz, que é preparado ao momento e servido quente, mal cozido (mi-cuit), regado com ovos-moles e com uma bola de gelado de ovos-moles ao lado. À receita da avó com noz moída, farinha e ovos-moles, acrescentou o gelado, também de ovos-moles, que ela própria faz, para ficar mais leve e "cortar" quer o quente quer o doce. Tornou-se a sobremesa favorita e só por si justifica a visita. €4,20
Restaurante Cozinha da Terra
Teresa Ruão
Lugar da Herdade, 8, Louredo, Paredes
T. 255 780 900

Pão de rala D. Gertrudes é uma cozinheira de mão cheia. Nasceu numa aldeia da serra d'Ossa, no concelho de Redondo, onde viveu e se fez cozinheira, até ao dia em que veio surpreender Lisboa com a sua arte. Tem 80 anos de idade (bem bonito rol!) e continua a preparar as sopas, as açordas, os ensopados, os fritos, os doces e outras iguarias da cozinha alentejana com grande mestria. Guarda as receitas na memória, como a do pão de rala, que faz como ninguém, embora diga que "é tudo normal: a massa com amêndoas, o recheio com gila e os ovos, e o açúcar em farinha por cima". Se lhe perguntam se tem algum segredo, limita-se a responder que "são coisas antigas, que a gente vai aprendendo". E acaba a conversa com um sorriso, também doce. €5,50
Restaurante O Galito
D. Gertrudes
R. da Fonte, 18D, Lisboa, T. 21 711 1088

Pastel de nata em mil-folhas, com gelado de canela A ideia surgiu no primeiro mês de trabalho de José Avillez à frente da cozinha do restaurante Tavares para um almoço da Academia Portuguesa de Gastronomia. Queria algo diferente. E pegou numa das coisas mais emblemáticas da doçaria portuguesa, o pastel de nata, que normalmente não se come à sobremesa, mas a acompanhar o chá ou o café, decidido a servi-lo de outra maneira, à mesa do Tavares. A massa e o creme do pastel podiam mudar de forma e de sabores, e foi o que fez, acrescentando-lhe o gelado para contrastar temperaturas. Mantém um certo classicismo, porque é um mil-folhas; tem inovação, porque o creme é diferente; e o resultado é brilhante com o crocante da massa, o doce do creme e o toque de especiarias da canela. Genial interpretação de uma receita tradicional portuguesa. €15,75
Restaurante Tavares
José Avillez
R. da Misericórdia, 35 r/c, Lisboa
T. 21 342 1112

Leite-creme O que é que o leite-creme do restaurante Spazio Buondi tem que faz deste doce tradicional e tão popular uma das suas sobremesas mais apreciadas? A textura certa, diz Justa Nobre, sublinhando que o faz da maneira mais simples e tradicional. Só leite, ovos, açúcar e uma colher de farinha de trigo, sem canela, nem limão, "para saber mesmo a leite-creme". Segredo, se o houver, só mesmo aquela textura certinha que advém de uma cozedura lenta e cautelosa, até chegar ao ponto certo, pois, se ferve, estraga-se. Depois, é queimado na hora e fica aquele douradinho apelativo do caramelo que vai estalar na boca.
Uma delícia. É feito antes de cada refeição pelas mãos de Guida, irmã de Justa, agora responsável pela doçaria. €3,80
Restaurante Spazio Buondi
Justa Nobre
Av. Sacadura Cabral, 53B, Lisboa.
T. 21 797 0760
Tarte fina de marmelos confitados, gelado de baunilha e sumo de marmelos As sobremesas do Fortaleza do Guincho estão confiadas ao chef pasteleiro Fabian Nguyen e são sempre obras de arte, como esta: escolheu um marmelo, por ser a fruta do momento, bem maduro, sem manchas, com a pele amarela e viva. Juntou gelado de baunilha para cortar a acidez natural do marmelo e para refrescar o prato; serviu num copo, à parte, o sumo, porque ajuda a "limpar" o excesso de sabor doce e a guardar o sabor do marmelo. Tudo aparentemente simples, como são as coisas perfeitas. €14
Fortaleza do Guincho
Fabian Nguyen
Estrada do Guincho
T. 21 487 0491

Pêra Glacé
Autodidacta, Francisco Meirelles viu a sua pêra glacê premiada, mal a apresentou, e nunca mais pôde tirá-la da ementa. É de extrema simplicidade: pêra-rocha que, pela sua textura firme, é ideal, cozida em vinho, açúcar, açafrão e flor de anis, lentamente, a baixa temperatura; retira-se a pêra, reduz-se o molho e serve-se com uma quenelle de tangerina. Além de a fruta ser cozinhada, beneficia da cor e do sabor dados pelo açafrão, que liga muito bem com o anis. Ao efeito estético, acresce a virtude de preservar o sabor natural dos ingredientes.€5
Restaurante Sessenta Setenta
Francisco Meirelles
R. de Sobre-o-Douro, 1A, Porto
T. 22 340 6093

Pão-de-ló de azeitonas doces e frutos vermelhos Leveza, frescura e originalidade são características das sobremesas do Club, ilustradas por este pão-de-ló que Henrique Mouro elaborou para os leitores da VISÃO Gourmet e que vai figurar na carta da Primavera. O pão-de-ló, à base de ovos batidos, tem-lhe permitido fazer muitas coisas e, desta vez, casou-o com a azeitona, trabalhando-a como a ameixa de Elvas. Um pastelinho cremoso com uma belíssima apresentação e um sabor irresistível. €5
Restaurante Club
Henrique Mouro
Av. Combatentes da Grande Guerra, 40, V. Franca de Xira. T. 309 897 326

In Visão Online, 28/11/2009

"O MERCADO", Alcântra

Depois de Julie & Julia (2009, http://www.imdb.com/title/tt1135503/), serão de actualização cinematográfica graças às miniférias pascais, resolvi dedicar-me um bocadinho mais ao blog. O filme deu-me sem dúvida o incentivo para fazer algo que há muito havia crescendo enquanto ideia na minha cabeça. Não só, de utilizar o Blog como forma de registo/comunicação, como, de escrever acerca de temas que me interessam e me dão imenso prazer, cozinha/culinária, viagens, cultura, ciência etc. Tudo muito relacionado!


Neste post começo até com uma visita bem recente ao restaurante "O Mercado", em Lisboa - Alcântara. Contudo, irei voltar um bocadinho atrás e fazer referência a outros, que merecem também o apontamento e que cuidadosamente fui guardando pequenos apontamentos na minha agenda, gasta e sujinha como um objecto essencial de viajante, que me acompanha ao longo do ano civil.

Então, voltando ao mercado.

O restaurante está bem situado e beneficia de condições propícias ao degustar de uma bela refeição tradicional portuguesa. Refiro-me ao estacionamento (nos nossos dias um factor decisivo), ao espaço amplo e agradável, inserido numa zona antiga e tradicional, e a um bom atendimento, com toda a simpatia e prestabilidade de quem nos acompanha desde que lá entramos.
As refeições são deliciosas, menu muito variado e recheado do típico espectro português. Os preços variam de acordo com o apetite e escolhas, mas estão entre os 15-20€ por pessoa. Estas estimativas não são o meu forte, mas como já lá fui e considerando uma refeição habitual num restaurante, julgo que está aproximado. Aproveito ainda para acrescentar, que se trata de um bom restaurante para convívios de grupo, com menus propositados e tudo.
O site está muito bem elaborado, na minha opinião, tem o essencial é é muito útil, sugiro uma visita ao mesmo (http://www.mercadodealcantara.com/index.html)
"Bon apetit"!

Saturday, March 06, 2010

CAMPANHA CONTRA O RACISMO

Afro Asian Institute em parceria com o Crossing Cultures.
Apanhei isto numa das minhas leituras. Está muito bem feito... ilustra bem o estigma, o preconceito que inicialmente o cenário despolta.

Saturday, February 27, 2010

CHILLIN' OUT

Depois de uma semana daquelas! Só mesmo a minha PL e a RFM... Por agora Chris Botti.
A vida tem destas coisas, cada ano, cada mês, semana e dia, também. Felizmente o pior passou e como bom ser humano que somos, levantamo-nos e readaptamo-nos. Esforços são feitos para a reconstrução fisíca e emocional. E conseguimos, temo-lo sempre feito, são mais umas marcas. Como alguém dizia «dá-te carácter».

Este "carácter" também vai ter de se confrontar com a realidade e na medida dos seus conhecimentos, sentido ético e humano, terá de dar a sua contribuição para o ultrapassar desta "crise" junto dos menos crescidos, que à excepção de um menino (muito "divulgado" nos media), têm sido relegados ao esquecimento. Até mesmo os que partiram.

Pois é. A propósito do tal menino, que teve o (in)fotúnio de ver a sua inocência infantil explorada pelos que deveriam ter a responsabilidade e dever de o proteger, queria só referir o que têm feito por ele. Sua família perdeu tudo, e refira-se segundo a sua mãe (pois o pai pouco se pronunciou), o tudo foi a «melhor casa da zona». Não pensem que foi os filhos ou outros familiares, o tudo foi mesmo a casa. Eu percebo a angústia, mas em conversas fui-me apercebendo que realmente o testemunho da senhora se destacava dos restantes pelas grandes incoerências. A casa tem tudo no interior, menos o seguro.
Bem, mas chega de dar importância a este facto, é apenas um reparo meu, a junção de vários 2+2. A criança, que provavelmente ainda não conseguiu entender toda a alteração, calamidade e sofrimento à sua volta, pois nem lhe dão espaço para isso, já recebeu aquilo que os adultos julgam ser os bens prioritários à sua sobrevivência: 1 magalhães topo de gama e 2 playstations.
Imagino que agora ele esteja mais confortado, sabendo que tem onde dormir, o que vestir, comer e principalmente quem lhe diga que as catástrofes naturais até têm os seus benefícios.

Não reflicto mais acerca deste assunto.

Para terminar realço a força, solideriedade, generosidade, espírito de entre-ajuda, dinamismo e proactividade de todos, de crianças a adultos séniores, os que realmente tem percebido o que é necessário fazer e se têm dedicado a isso mesmo.

Tuesday, February 16, 2010

A VIDA POR UMA LENTE


Algumas das fotografias do World Press Photo.
Uma demonstração das emoções e experiências humanas.
Pietro Masturzo é declarado vencedor pela fotografia do ano, a de uma mulher que grita a sua dor, em Teerão.
De uma grande qualidade, não consigo deixar de sentir ou referir a grande carga emotiva, por sinal maioritariamente negativa, realçada na maioria das fotografias... Em vez da celebração da vida, destacam-se com mais premência a dor, medo, solidão, impotência, a confusão....

Wednesday, December 30, 2009

DEFINITION


peek-a-boo noun
/ˌpiːk.əˈbuː/ n [U] (UK also peep-bo), a game played with very young children in which you hide your face, especially with your hands, and then suddenly take your hands away saying "peek-a-boo" 
(Definition of peek-a-boo noun from the Cambridge Advanced Learner's Dictionary)